Artista do mês de Abril: João Paulo

A partir de agora, todos os meses iremos mostrar um pouco mais sobre o trabalho de nossos talentosos artistas! E nada melhor do que começar dando as boas vindas ao nosso mais novo membro da equipe! 👇

 

João Paulo de Oliveira Freitas

Apaixonado por viagens e Natureza. É Mestre e Engenheiro Mecânico especializado em Análise Estrutural, mas é na Fotografia que expressa a emoção de vivenciar as paisagens e o ambiente Natural.

 

 

 

 

Todas suas fotos têm uma história, como essa aqui abaixo!

Ir à Patagônia sempre foi um sonho de criança, desde de a época que estudava biologia e aprendia sobre a Evolução das Espécies e as pesquisas de Charles Darwin na região.

Tantos animais, tantas paisagens… Aquilo ficou em minha memória. Cresci, me apaixonei pela fotografia de paisagem e natureza e finalmente tive a oportunidade de ir até a Patagônia Argentina. Mas agora seria diferente, eu tinha um lugar em específico para fotografar: o Monte Fitz Roy e a Laguna de Los Tres.

Chegar lá não foi fácil. E tudo começou no dia anterior, quando minha noiva e eu saímos de nosso hostel em El Calafate com nossas mochilas às 7:00 da manhã. Caminhamos 3 km até a rodoviária e pegamos um ônibus até El Chaltén. No caminho, muitas belezas pela Ruta 40 e de longe já podia enxergar o imponente Fitz Roy.

Ao chegar em El Chaltén, caminhamos mais alguns km até nosso outro hostel, onde apenas deixaríamos nossa mala, pois a ideia era acampar no meio da trilha. Mas para isso, nos faltavam alguns equipamentos. E após 4 ou 5 lojas, conseguimos alugar nossa barraca, sacos de dormir e isolantes térmicos. Mas tudo isso tinha que caber em nossas mochilas, junto ao equipamento de fotografia e vídeo e ainda ficar leve (ou menos pesado rsrs).

Após prepararmos todo o equipamento, já estávamos cansados, mas pelo menos a fome já havia passado após um almoço rápido.
Só conseguimos começar a trilha de fato às 16:44. Apesar de tarde, no verão anoitece tarde também e nossa empreitada estava sendo em janeiro, portanto, o pico do verão patagônico.

O Sendero Al Fitz Roy, nossa trilha, tem 20 km no total, ida e volta, com partes planas, ingrímes e outras muiiiito ingrímes e cheias de rochas.

Andamos nesse sobe e desce até o oitavo km, onde montamos nossa barraca e dormimos às 22:30. Apesar de cansados, o pior ainda estava por vir, e o clique do Fitz Roy não me saía da cabeça.
Foi então que à 1:30 da manhã desmontamos nossa barraca e seguimos a trilha na completa escuridão, subindo 2 km de uma inclinação de quase 45 graus. Devido à dificuldade desse trecho, só chegamos ao objetivo as 5:00 horas, quando tudo ainda estava escuro… Foi então que avistamos um vulto, pensamos que poderia ser alguém, mas fomos os primeiros a chegar ali, e então percebemos que era um animal. Pelo porte julgamos ser um puma. Mas enfim, estamos vivos, logo, deu tudo certo.
A emoção de estar ali e ter vencido todos esses obstáculos é a maior de todas. Converter em pixels a emoção é muito difícil, mas foi a primeira coisa que fiz… apesar de tremer muito com o frio abaixo de zero (mesmo sendo verão), ainda fiz algumas fotos em longa exposição… E com o surgir do sol, também surgiu essa imagem, que retrata o esplendor de um dos lugares mais bonitos do mundo: a Patagônia. As cores da Laguna de Los Tres e o gigantismo do Fitz Roy, nos faz ver o quanto somos pequenos e o quanto temos a conhecer e respeitar a Natureza…”

Não é só fotografia… É emoção.

Quero conhecer!

 

Enviar Comentário

@ quatroladosquadros

Siga-nos no Instagram

[wdi_feed id="1"]