Como mudar um quarto de bebê para de criança

Olá queridos, para aqueles que não me conhecem direito, gostaria de me apresentar: sou Mariane, designer, esposa do Léo e mãe do Miguel, 9 anos e da Lívia, 7 anos. Quartos de crianças sempre me encantaram e me intrigavam um pouco, já explico o porquê!

Ajudar no desenvolvimento dos meus filhos é algo muito especial para mim, e claro para a maioria dos pais! Queremos que eles sejam criativos, autênticos e felizes!

Usei minha profissão para auxiliar nesse processo, e quero dividir algumas dicas com vocês.

Quando trabalhei como designer de interiores, percebi o quanto os pais dedicam tempo e dinheiro para o quarto do bebê. Os pedidos quase sempre os mesmos: móveis brancos, muito espaço para guardar e nichos e prateleiras para decorar. Em no máximo dois anos esse quartinho não irá atender os desejos de uma criança que gosta de cor, de energia, de pegar e descobrir tudo, e que tem pouquíssimas coisas para guardar.

Como o gasto foi grande e o uso pequeno, as vezes queremos compensar deixando o quartinho assim mesmo, sem nenhuma adequação. Esse erro é comum, podem acreditar, foi exatamente o que senti quando tive o Miguel.

Com a chegada da Lívia, foi bem diferente, além de aproveitar algumas coisas, já deixei o quarto mais livre, com poucos móveis, muitas caixas de brinquedos no chão, poucos nichos e muita cor.

Imagem internet (exemplo de móveis brancos e muita cor na decoração)

Eu concordo com vocês que móveis são investimentos altos, então branco nos móveis, ok. Mas em todo o restante não tenha medo de ousar, abusando de adesivos, quadros, almofadas, tapetes, e os próprios brinquedos, que já são pura diversão!

Vocês já devem ter ouvido falar no estilo de aprendizagem desenvolvido por Maria Montessori, ela destaca a importância da liberdade, da atividade e do estímulo para o desenvolvimento físico e mental das crianças. Para ela, liberdade e disciplina se equilibrariam, não sendo possível conquistar uma sem a outra. Adaptou o princípio da autoeducação, que consiste na interferência mínima dos professores, pois a aprendizagem teria como base o espaço escolar e o material didático.

O estilo hoje conhecido como Montessoriano, ganhou força no universo da decoração, saindo das escolas e migrando para nossos lares.

 

Dar autonomia para nossos pequenos, estimula o desenvolvimento cognitivo, auto-estima, criatividade e de autoconhecimento. Esses estímulos proporcionam as crianças fazerem suas próprias escolhas, pois tudo o que elas precisam está no alcance das mãos.

 

 

 

 

Eu usei essa ideia, que pesquisei na internet há alguns anos, para transformar os desenhos e atividades especiais que eles preferem em verdadeiras obras de arte. Gastei pouco e faz muito sucesso, tanto os meus filhos que amam, quanto todos que entram no quarto, nunca passa despercebido!

E nem preciso explicar o quanto a auto-confiança dos meus pequenos vai ficando fortalecida a cada elogio dos destaques escolhidos por eles mesmos!

 

 

Olha que ideia prática e com baixo custo! Cestinhos para organizar os brinquedos, no alcance das crianças, isso é o mais importante, deixando o quarto lindo e ensinando, sem ser chato e maçante, que cada coisa tem seu lugar!

O tapete, os quadrinhos, lousa, almofadas, tudo isso contribui para deixar o ambiente do seu filho lúdico, divertido, interativo e cheio de vida!

Nessa última foto, estou eu a esquerda e minha parceira e xará da Pontinho Fino Enxovais entregando o quartinho do Bernardo de 2 anos, nós fizemos os quadros de acordo com as preferências do Bernardo e a Mari, com todo o capricho, no enxoval super lúdico da cama, ajudando o Bernardo a dormir sozinho! O quartinho ficou lindo e a mamãe do Bernardo super satisfeita, aos poucos ela irá trocas outros elementos e trazes mais cor para ajudar nessa transição de bebê para criança.

Mãos à obra!

Espero que tenham gostado e se inspirado!

Abraços carinhosos, Mariane

Mariane Michels, apaixonada por arte e decoração, designer da @quatroladosquadros, com o sonho de ajudar a transformar as casas em lares com alma em todo o Brasil.

Enviar Comentário